Turista Literário
Mostrando postagens com marcador Turista Literário. Mostrar todas as postagens

12 de dezembro de 2017

Blogmas #12: Unboxing Turista Literário - Tartarugas até lá embaixo


Turista Literário é um serviço de assinaturas que tem crescido bastante nos últimos tempos. As caixinhas promovem uma verdadeira imersão sensorial na historia e todos os meses o conteúdo é surpresa, a única certeza é de que o livro será um Young Adult recém lançado.
No site há a aba "dica do livro", onde eles dão pistas sobre o livro do mês. E para o mês de novembro as dicas eram: 1) Livro lançado na primeira quinzena de outubro; 2) Escrito por um autor muito querido pelos leitores; 3) Se passa nos dias de hoje.

Sinopse: A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). 

Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.

Capa

Livro:Tartarugas até lá embaixo

Autor: John Green
Editora Intrinseca






O que veio na malinha do mês?



➡️ Item para estimular a visão 👀Livro: Tartarugas até la embaixo- Jonh Grenn

/kamilla.neto


➡️ Item para estimular o olfato👃 Criamos  uma vela aromatica com o cheiro do refrigerante preferido da Aza . Dr Pepper, que é uma espécie de Coca Cola sabor cereja parecido com o Chery Coke dos anos 80 - 90

/kamilla.neto

➡️ Item para estimular o 👐 Cofre de Cereais do Sr. Davis - Materializamos a caixa de cereais que o Sr Davis curiosamente usa para guardar suas economias. Será esse segredo para ser um bilionário? Quem sabe assim você também começa a poupar e um dia chega lá!

/kamilla.neto


➡️ Item para estimular a audição 🎧 Playlist no Spotify

➡️ Souvenir de viagem 💝Estojo ou case- Não é preciso  estar no ensino médio como a Aza para aproveitar  este estojo com a arte exclusiva para nós turistas 

/kamilla.neto

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
➡️ Conteúdos extras 💏 Entrevista exclusiva com o autor e mais informações a playlist do mês e itens da malinha.




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 
Estarei comentando com vocês sobre o BEFA (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5


11 de dezembro de 2017

Blogmas #11: Entrevista com o autor: Jonh Grenn




Como você quis descrever Indianápolis, onde você nasceu e agora vive?

JG: Minha esposa, Sarah e eu vivemos lá há 10 anos e eu adoro isso. Eu queria escrever sobre isso do jeito que penso que a maioria dos adolescentes se relaciona com suas cidades natais - eles têm um certo carinho pelo lugar de onde são, mas eles vêem com grande clareza o que há de errado com o lugar de onde eles são.

De onde veio essa história? Como você chegou com a idéia de ter um bilionário fugitivo para impulsionar a ação?

JG: Eu queria escrever uma história de detetive sobre um detetive cujo transtorno cerebral não o ajuda. Porque há tantas histórias de detetive sobre pessoas obsessivas que são detetives brilhantes por causa de sua obsessão e minha experiência com obsessão tem sido mais ou menos o oposto completo. Eu queria escrever uma história de detetive onde o enredo continua sendo interrompido pela incapacidade dessa pessoa de viver no mundo da maneira que ela quer. E então eu precisava de algum mistério grande, um tanto fantástico. Eu também queria escrever sobre as formas em que diferentes tipos de privilégios se cruzam na vida das pessoas e as formas em que eles te cegam.

Você foi extremamente aberto ao falar sobre suas próprias lutas com doença mental. Como foi escrever sobre o tipo específico de TOC e a ansiedade que você sofre?

JG: Eu tive que escrever com uma distância suficiente de mim mesmo para que isso fosse OK, para que eu me sentisse seguro. E então, Aza tem um foco diferente de suas preocupações obsessivas e dos comportamentos que ela usa para gerenciá-los. Ainda não posso falar diretamente sobre minhas próprias obsessões. A palavra gatilho se tornou tão amplamente usada na cultura popular, mas qualquer um que experimentou um ataque de ansiedade sabe o quanto eles o querem evitar. Foi realmente difícil, especialmente no início, escrever sobre essa coisa que era uma parte tão importante da minha vida. Mas, de outra forma, era realmente empolgante porque sentia que se eu pudesse dar forma ou expressão, eu poderia olhar para isso e eu poderia falar sobre isso diretamente, em vez de ter medo disso. E uma das principais coisas que eu queria fazer no livro era mostrar quão solitário pode ser viver com doenças mentais e também o quão difícil pode ser para as pessoas que estão à sua volta, porque você acaba se isolando.
Você enfatiza a idéia de que não há cura mágica para doenças mentais ao longo do livro. Por que foi importante para você transmitir essa mensagem?

JG: Nós realmente gostamos de histórias que envolvam a conquista de obstáculos e sejam sobre a vitória sobre a adversidade. E eu também adoro essas histórias. Só que essa não foi a minha história com doenças mentais e eu realmente não queria que fosse a da Aza. Para mim, não é algo que eu espero vencer na minha vida. Não é como uma batalha que eu espero ganhar. É algo com o qual eu espero viver e ainda ter uma vida plena.

O que te inspirou a usar as Tartarugas até lá embaixo - uma anedota que ilustra o problema com uma regressão infinita - como uma metáfora para a luta de Aza?

​JG: Eu amo essa história. Quando o ouvi pela primeira vez, eu era estudante universitário. Eu pensei que era sobre o quão estúpida é a superstição e como a ciência é certa e todos os outros estão errados. E agora percebo - ou penso agora - que esse não é o ponto da história. O ponto da história é que o cientista está certo, mas a velha disse que o mundo está apoiado em tartarugas por todo o caminho infinitamente, ela também está certa. Ambos estão certos, porque, obviamente, o mundo é uma esfera - não sou como um terraplanista ou algo assim - mas o mundo também são as histórias que contamos sobre ele. As histórias que contamos são importantes. Elas moldam o mundo real e moldam nossas vidas reais. Então, isso é muito útil para mim ao pensar sobre porque eu gosto de escrever e ler. Mas também é muito útil para mim, ao me lembrar de que eu tenho alguma escolha ao moldar minha própria experiência. Mesmo que eu possa ir por longos períodos de tempo onde eu não tenho controle sobre meus pensamentos e isso é assustador e desestabilizador para meu senso de si mesmo, eu tenho escolha na história da minha vida.

​Seus livros são lidos por pessoas de todas as idades. Mas como você se sente sobre a importância de incorporar questões como a doença mental em livros para jovens adultos?

JG: Eu acho que houve muitos bons livros jovem adulto sobre doenças mentais ao longo dos anos. Para mim, uma das razões pelas quais eu gosto de escrever livros jovem adulto é porque adoro compartilhar uma prateleira com os outros livros jovem adulto que estão sendo publicados agora. Eu apenas acho que é um momento realmente maravilhoso na literatura jovem adulta. Eu também gosto de escrever sobre adolescentes porque eles estão fazendo coisas pela primeira vez e é realmente intenso. E uma das coisas que eles estão fazendo pela primeira vez é fazer as grandes perguntas sobre o sofrimento e o que as coisas significam e se ter um significado é inerente à vida humana ou é algo que devemos construir.

Como você sente que este livro se encaixa na conversa atual sobre saúde mental e o impulso de muitos para desestigmatizá-la?

JG: Eu acho que algum progresso foi feitos na desestigmatização da doença mental. Penso que ainda há muitos estigmas no local de trabalho. Acho que infelizmente ainda há muitos estigmas em torno da contratação. Eu não sou um psicólogo, definitivamente não sou um especialista nestas coisas, mas um dos problemas com a estigmatização é que isso gera um isolamento. E eu realmente espero que possamos continuar a derrubar isso porque lembro-me de como eu sentia no ensino médio e era uma grande parte do que o fazia tão difícil de suportar.

Este é o segundo livro consecutivo que você escreveu a partir de uma perspectiva feminina. O que você acha mais desafiador sobre escrever personagens com os quais você não se identifica diretamente?

JG: Bem, sempre é um desafio. Qualquer personagem é uma espécie de pulo em empatia. Toda vez que você escreve da perspectiva de um personagem fictício, você está imaginando o que é não ser você. E essa é uma das coisas que eu amo sobre a escrita de ficção porque eu senti como uma fuga do meu cérebro, o que muitas vezes não é um lugar muito agradável de se estar. Espero que [Aza] pareça real às pessoas.

E você também teve essa grande amizade feminina entre Aza e Daisy neste livro.

JG: Sim, eu realmente queria escrever sobre amizade. Eu queria escrever sobre todos os diferentes tipos de amor que podem sustentá-lo e apoiá-lo. O amor romântico é aquele em que nos concentramos mais em nossa conversa cultural e certamente é muito importante para muitas pessoas. Mas para muitas pessoas, outros tipos de amor são os mais importantes. Quando eu estava no ensino médio, era o amor de meus amigos que me fez continuar.

Tartarugas até lá embaixo é o seu primeiro livro desde o enorme sucesso de A Culpa é das Estrelas. Você pode falar sobre sua experiência escrevendo após esse sucesso?

JG: Enquanto eu sentia como se estivesse escrevendo uma continuação, eu não estava escrevendo. Foi uma experiência maravilhosa e um privilégio incrível de ter tantas pessoas respondendo a esse livro tão gentilmente. Isso significou muito para mim, mas também significou que, quando eu comecei a tentar escrever novamente, senti como se houvesse pessoas olhando por cima do meu ombro e isso tornou [escrever] impossível por um longo tempo. Eu acho que era impossível por uma variedade de razões. Eu também acho que tive um período de má saúde mental, que acontece às vezes. Honestamente, senti que talvez eu não escrevesse outro livro e eu tinha que estar bem com isso.

​Você pode me contar um pouco sobre como você coloca tantas referências literárias em seu trabalho? Qual é o processo?

​JG: Nesta história, eles vieram ao longo da escrita ou, em alguns casos, antes. Algumas coisas foram aproveitadas de tentativas falhas anteriores de escrever um livro. Mas, como essa frase, em Ulysses, onde Molly Bloom diz: "O Jamesy me deixe sair disso", é algo que eu disse na minha própria vida para qualquer coisa que sinto que está me forçando a pensar esses pensamentos intrusivos. Isso é algo que eu disse milhares de vezes na minha cabeça ou em voz alta.

​Há algum autor de Jovem Adulto no momento que gostaria de destacar como merecendo mais atenção?

JG: O livro de Angie Thomas O Ódio que Você Semeia está recebendo muita atenção, mas deveria ter mais. Deve ser um livro que está sendo lido, penso eu, em todas as aulas de ensino médio no país. É um livro tão especial. Eu acho que vai ser lembrado da mesma forma como hoje falamos agora sobre Vidas sem rumo. Há também um livro chamado Piecing Me Together de Renee Watson, que é um olhar brilhante sobre o papel que a arte desempenha na vida dos jovens, mas também todas as diferentes maneiras que a raça, gênero e privilégio se cruzam na vida de uma jovem realmente extraordinária. Eu tenho pensado nesse livro sem parar nos últimos seis meses.

​O que está no seu radar? O que você está lendo agora?

JG: Acabei de terminar Little Fires Everywhere por Celeste Ng, que é incrível. É tão bom. Você lê as primeiras seis páginas e você fica “isso vai ser muito bom!”. E é muito bom do início ao fim.


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 
Estarei comentando com vocês sobre o BEFA (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5



16 de novembro de 2017

UNBOXING TURISTA LITERÁRIO - Uma Chama Ardente e Brilhante



O Turista Literário é um serviço de assinaturas que tem crescido bastante nos últimos tempos. As caixinhas promovem uma verdadeira imersão sensorial na historia e todos os meses o conteúdo é surpresa, a única certeza é de que o livro será um Young Adult recém lançado.
No site há a aba "dica do livro", onde eles dão pistas sobre o livro do mês. E para o mês de outubro as dicas eram: 1) Vamos viajar para um país que já visitamos anteriormente com nosso balão; 2) Protagonista feminina em uma história com magia! 3) A história acontece no passado.



Livro:Uma Chama Ardente e Brilhante
Autora: Cluess, Jessica
Editora: Galera Record
Páginas: 336





Sinopse: O primeiro livro da série de Jéssica Cluess, perfeito para surpreender fãs de fantasias já bem habituados com magia, profecias e triângulos amorosos.

Henrietta Howel tem o poder de explodir em chamas. Quando é obrigada a expor suas habilidades ela tem certeza de que será executada. Apenas os feiticeiros podem usar magia, e nenhum deles é mulher. Ela se surpreende quando não só é poupada da guilhotina, mas também nomeada a primeira feiticeira em séculos. Ela é a garota profetizada, aquela que derrotará os Ancestrais – seres sanguinários que aterrorizam a humanidade. Henrietta então passa a treinar dia e noite com um grupo de feiticeiros ansiosos para testar as habilidades – e o coração – da garota da profecia. Mas será que Henrietta é mesmo a garota da profecia?

Avaliação: 




O que veio na malinha do mês? 


➡️ Item para estimular a visão 👀Livro: Uma Chama Ardente e Brilhante.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

➡️ Item para estimular o paladar 🍪 Caramelos do Agrippa; Para estimular seu paladar, sinta o sabor dos caramelos que Agrippa usa para presentear as crianças enquanto texta se elas tem algum poder secreto.



➡️ Item para estimular o olfato👃 Pacote dos Sonhos e as ervas terapêuticasAs ervas aromáticas ou ervas-de-cheiro são utilizadas há gerações na culinária, nos cosméticos naturais, nos banhos, nos chás, na decoração, no vestuário e em muitas outras formas. Suas propriedades medicinais são indicadas no tratamento e prevenção de doenças sendo também excelentes na manutenção da saúde e bem-estar.


Uma excelente e tradicional forma de uso é através dos travesseiros aromáticos, que agem acalmando o corpo e a mente. A prática de colocar ervas sob o travesseiro remonta há muitos séculos e foi feita originalmente para proteger contra o mal, acalmar os maus sonhos, trazer bons sonhos e, alguns acreditavam, até para prever o futuro. Não importa o motivo, os travesseiros de ervas são benéficos para adultos, crianças e até mesmo animais de estimação.

De acordo com a Aromaterapia, a mistura de ervas auxilia no tratamento contra stress, insônia, enxaquecas, problemas respiratórios, ansiedade, depressão e TPM, proporcionando um sono tranquilo, relaxante e reparador. As substâncias fotoquímicas que desprendem do aroma delicado e suave das ervas agem de forma terapêutica no sistema nervoso central. O recheio do Pacote dos sonhos que preparamos para nossos Turistas foi feito com uma mistura de 3 a 4 ervas:


Camomila: acalma e relaxa a mente, traz sensação de acolhimento; Lavanda: calmante, relaxante e alivia dores de cabeça; Pétalas de rosa: traz calor e amor, pode evocar sonhos românticos; Menta: É recomendada para proporcionar sonhos vívidos, ou bem claros.

➡️ Item para estimular a audição 🎧 Playlist no Spotify

➡️ Souvenir de viagem 💝porta-lápis/canetas/marcadores - como lembrança dessa história chia de facetas e personagens intrigantes. Criamos porta-lápis/canetas que serve também para guardar marcadores de livro cada lado apresenta uma a rte cheia de elementos da história, ilustrada pelo Leonardo Vidal.



⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
➡️ Conteúdos extras 💏 Entrevista exclusiva com o autor e mais informações a playlist do mês e itens da malinha.




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):


4 de novembro de 2017

UNBOXING TURISTA LITERÁRIO - A Longa Viagem a Um Pequeno Planeta Hostil



O Turista Literário é um serviço de assinaturas que tem crescido bastante nos últimos tempos. As caixinhas promovem uma verdadeira imersão sensorial na historia e todos os meses o conteúdo é surpresa, a única certeza é de que o livro será um Young Adult recém lançado.


Livro: A Longa Viagem a Um Pequeno Planeta Hostil
Autora:Becky Chambers
Editora: DarkSide Books
Páginas: 352
Ano: 2017

Sinopse: Você nem imagina os mistérios que existem do outro lado do universo. Se tiver coragem de desbravá-los, é melhor se preparar. Essa não será uma jornada rápida e os perigos podem surgir a cada momento, de onde menos se espera. A boa notícia é que você não estará sozinho. Milhares de leitores em todo o mundo já embarcaram nas páginas dessa que é A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil. O livro de Becky Chambers é um marco recente no universo da ficção científica. Lançado originalmente através de financiamento coletivo pela plataforma Kickstarter, ele conquistou a crítica especializada e os ainda mais exigentes fãs do gênero, sendo indicado para prêmios respeitados, como o Arthur C. Clarke Award e o Hugo Award. Um dos motivos do sucesso de A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil é a abordagem da história. Elementos essenciais em qualquer narrativa sci-fi estão muito bem representados, como a precisão científica e suas possíveis implicações políticas. 

O gatilho principal é a construção de um túnel espacial que permitirá ao pequeno planeta do título participar de uma aliança galáctica. Mas o que realmente torna único esse romance on the road futurístico e muito divertido são seus personagens. Instigantes, complexos, tridimensionais. 

A autora optou por contar a história de gente como a gente, ainda que nem todos sejam terráqueos, ou mesmo humanos. A tripulação da nave espacial Andarilha é composta por indivíduos de planetas, espécies e gêneros diferentes, incluindo uma piloto reptiliana, uma estagiária nascida nas colônias de Marte e um médico de gênero fluido, que transita entre o masculino e o feminino ao longo da vida. Temas como amizade, força feminina, novos conceitos de família, poliamor e racismo fazem parte do universo do livro, assim como cada vez mais fazem parte do nosso mundo. Becky Chambers segue os passos da pioneira Ursula K. Le Guin e inclusive presta homenagem à inventora do ansible, um dispositivo de comunicação interplanetária, em sua obra. A visão feminina e acurada de autoras como Becky e Ursula permite desconstruir velhos clichês e quem sai ganhando são os amantes da literatura sci-fi, de todas as espécies gêneros. Outras fontes ajudaram a formar a autora de A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil, Carl Sagan e Star Trek, por exemplo. Mas certamente suas influências estavam em casa. Becky é filha de um casal de cientistas espaciais e neta de um dos participantes do Projeto Apollo da Nasa. A ciência é algo importante na família. 

A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil é o primeiro livro de ficção científica da coleção DarkLove. Livros escritos por autoras com grandes histórias para contar, prontas para desbravar novos mundos. E ele consolida a DarkSide Books no fantástico universo de sci-fi. A editora já lançou Star Wars: A Trilogia, novelização dos três primeiros filmes da saga, e O Homem que Caiu na Terra, de Walter Tevis, romance que deu origem ao primeiro filme de David Bowie como ator, dirigido por Nicolas Roeg em 1976.

Avaliação: Leitura atual

O que veio na malinha do mês?



➡️ Item para estimular a visão 👀 LivroA Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
➡️ Item para estimular o olfato👃Sabonete da Kizzy (aroma de fruta-doce) inspirado nessa estética e com elementos da história;
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
➡️ Item para estimular a audição 🎧 Playlist no Spotify

➡️ Souvenir de viagem 💝Almofada de pescoço e Nesta malinha de setembro estamos enviando um item muito inusitado: um taçajur! É basicamente um abajur usando uma taça de vinho como suporte.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
➡️ Conteúdos extras 💏 Entrevista exclusiva com o autor e mais informações a playlist do mês e itens da malinha.




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

25 de setembro de 2017

UNBOXING TURISTA LITERÁRIO - FILHA DAS TREVAS

O Turista Literário é um serviço de assinaturas que tem crescido bastante nos últimos tempos. As caixinhas promovem uma verdadeira imersão sensorial na historia e todos os meses o conteúdo é surpresa, a única certeza é de que o livro será um Young Adult recém lançado.
No site há a aba "dica do livro", onde eles dão pistas sobre o livro do mês. E para o mês de agosto a dica era que o livro traria uma temática feminista e a história se passaria num lugar jamais antes visitado pelo balãozinho do Turista Literário.

Livro: Filha das Trevas
Autora:Kiersten White/ Saga da Conquistadora # 1
Editora: Plataforma 21
Páginas: : 472

Sinopse: Lada Dragwlya e o irmão mais novo, Radu, foram arrancados de seu lar em Valáquia e abandonados pelo pai – o famigerado Vlad Dracul – para crescer na corte otomana. Desde então, Lada aprendeu que a chave para a sobrevivência é não seguir as regras. E, com uma espada invisível ameaçando os irmãos a cada passo, eles são obrigados a agir como peças de um jogo: a mesma linhagem que os torna nobres também os torna alvo.

Lada despreza os otomanos. Em silêncio, planeja o retorno a Valáquia para reclamar aquilo que é seu. Radu, por outro lado, quer apenas se sentir seguro, seja onde for. E quando eles conhecem Mehmed, o audacioso e solitário filho do sultão, Radu acredita ter encontrado uma amizade verdadeira – e Lada vislumbra alguém que, por fim, parece merecedor de sua devoção. Mas Mehmed é herdeiro do mesmo império contra o qual Lada jurou vingança – e que Radu tomou como lar. Juntos, Lada, Radu e Mehmed formam um tóxico e inebriante triângulo que tensiona ao limite os laços do amor e da lealdade.

Avaliação: ★★☆☆☆

O que veio na malinha do mês?



/colecionandoprimaveras


➡️ Item para estimular a visão 👀 Livro: FILHA DAS TREVAS
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
➡️ Item para estimular o olfato👃PALÁCIO DO SULTÃO; INCENSOS: Acenda o incenso e sinta o aroma intenso do palácio do Sultão; MANDALA OTOMANA; INCENSÁRIO: A incrível arte e arquitetura Otomana podem ser vistas até hoje nas mesquitas da Turquia. O turista literario fez um incensário inspirado nessa estética e com elementos da história;
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
➡️ Item para estimular a audição 🎧 Playlist no Spotify

➡️ Souvenir de viagem 💝CADERNINHO INTELIGENTE - este souvenir não vão sair da sua mochila ou bolsa! Além da linda arte da Pri Mizuh, inspirada na história, as páginas deste caderno entram e saem, vão na impressora e é possível adquirir refis e outros itens.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
➡️ Conteúdos extras 💏 Entrevista exclusiva com o autor e mais informações a playlist do mês e itens da malinha.





Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):


5 de agosto de 2017

Minha Primeira Experiência com o Turista Literário

O Turista Literário é uma caixa surpresa de livros por assinatura que promove uma experiência sensorial única no universo onde o livro é ambientado. Eu amei o conceito, a ideia é que os itens escolhidos levem o leitor, através dos sentidos, para o local do livro. É interessante, já que ajuda a verdadeiramente se afundar na história.


Demorei para garantir a minha primeira mala. Não foi barato: a assinatura é R$ 71,90 + R$15,00 de frete. Mas posso dizer que valeu cada centavo.


A primeira mala de Julho eu recebi essa semana O livro do mês foi Ecos, da Pam Munoz Ryan. Junto com o livro, vieram uma caixa com um cordão com o pingente de uma gaita magica gravado a profecia "Seu destino não esta selado..."  repousado das cascas dos tipos de arvore conivera que compõe a Floresta Negra . O Bolo da Tentativa que também é mencionado no livro; e um souvenir de viagem, é um fone de ouvido, com arte inspirada no livro. Além disso, também é apresentado um QR Code para você ouvir uma playlist enquanto lê.


Também recebi o marcador de página:do próprio Turista Literário e os livros da editora Darkside vem com um a fita setim como marca-páginasAinda não li a história, já que infelizmente não tive tempo (leia-se: estou terminando de ler o primeiro livro de uma trilogia), mas logo lerei e conto aqui o que achei.


Ah, outro detalhe super legal é que veio um passaporte do Turista Literário e todo mês receberemos um selo para colar nele e ir acumulando nossos destinos. O que é mais encantador é todo o cuidado com que os itens foram escolhidos. Nada está ali por acaso. Pelo contrário, foi tudo bem pensado para aumentar a experiência da leitura.


Na minha primeira malinha eu fui atras de Spoiler's (sabia que erra o livro Ecos da ed. Darkside) e mesmo assim me surprendi com os "souvenir de viagem" no próximo mês eu nem li as dicas do site do TL para não ficar fuçando atrás de spoilers.

Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):


© Lado Milla
Maira Gall