Ano Novo
Mostrando postagens com marcador Ano Novo. Mostrar todas as postagens

19 de junho de 2017

Como eu aprendi a andar de bicicleta aos 31 anos

Quando não perdemos os nossos medos quando somos crianças viramos adultos encantados... 

Assim era o meu medo de andar de bicicleta.

Quem acompanha o blog já deve ter lido algo sobre "Eu nunca andei de bicicleta..." até o dia 14 de junho de 2017. Eu aprendi a andar de bicicleta! Pois bem, eu sou praticamente uma ciclista desde o começo desse mês :)

A responsável por isso, foi a minha mãe que chegou aqui em casa com uma bicicleta (adaptada com rodinhas). Então, pensei: Não deve ser tão difícil... Naquela mesma hora, eu subi na minha bicicleta e dei as minhas primeiras pedaladas no quintal de casa. Foi amor nas primeiras pedaladas! É indescritível a sensação de vento no rosto.


No final de semana, eu e minha mãe colocamos a Bicicleta dentro do carro e fomos até a Beira-Mar. O objetivo, era estar cada vez mais segura pedalando a minha bicicleta em um lugar mais apropriado (ciclovia). Mais do que aprender a andar de bicicleta, eu ganhei um hobbie novo, uma atividade física. A minha próxima aventura é sair para o transito e usar bike como transporte regular.

Nesses dias de ciclista, eu aprendi que: "superação" é o meu nome do meio; Que nunca é tarde para aprender coisas novas; que a melhor endorfina é a que você adquire ao ar livre e que uma cidade com menos trânsito e mais qualidade de vida é possível.




ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):


31 de dezembro de 2016

2016, tchau querido

"... Não é sobre chegar no topo do mundo e saber que venceu/ 
É sobre escalar se sentir que o caminho te fortaleceu..." 


Hoje faltam um dia para o fim do ano. Conto ansiosa os dias para a virada do calendário pois 2016 se encerra como um dos anos mais esquisitos da nossa história. 

As melhores coisas de 2016 aconteceram como o fim de um ciclo: No ano passado, eu apresentei o TCC que foi um projeto de pesquisa sobre Problemas Psicológicos na Migração com os Haitianos na cidade de Florianópolis/SC. Em 2016, eu terminei as sete matérias para finalmente me formar em Psicologia. Sonho realizado!



Hoje escrevo o texto em primeira pessoa, eu não sei escrever de outra maneira... Nesse ano, eu evitei escrever desabafos cansados preferindo escrever sobre outros assuntos: Filmes, séries, livros ou resenhando sobre a ultima leitura... Qualquer assunto que não fosse a vida real.

Esse ano foi o ano das Olimpíadas, do fora Dilma, do nosso segundo impeachment, do fora Temer, do dólar a R$ 3,50, do Briext, das eleições mais disputadas da Ilha, da vitória de Trump, e da morte de Fidel. As coisas mais improváveis no cenário nacional e mundial ocorreram e normalmente pendendo para o lado que menos torcíamos. 

Esse ano teve olimpíadas e eleições e diferente da copa de 2014 poucas coisas mudaram... No campo dos negócios as coisas foram mais lentas, e bastante difíceis para os "marinheiros de primeira viagem" que queriam abrir o seu negócio próprio. Sou da turma que agregou experiências com os acertos & erros nesse ramo. Sigo em frente. fechamos o negócio para amadurecer esse projeto e estudar para nos profissionalizarmos melhor nessa área. Para ser um bom profissional temos que ser uma boa pessoa: Com caráter, humildade, entusiasmo, simplicidade e positividade. 

Nesse ano, as pessoas me impressionaram com a falta de educação em todos os níveis e principalmente com a falta de profissionalismo. No meu primeiro emprego eu sempre ouvia dos meus supervisores "Uma boa pessoa consequentemente é um bom profissional" e esse ano eu senti na pele como é trabalhar com profissionais que são pessoas ruins, mesquinhas e maldosas nas suas atitudes. E isso me causou muito sofrimento.


A consequência disso financeiramente foi muito grande para os dois lados (...) Na forma que o negócio foi fechado, com profissionais sem ética em uma rede de intrigas e fofocas... A insegurança pairou e foi impossível "trabalhar em equipe"É necessário reconhecer os nossos pontos fracos/fortes e recuar algumas vezes, para alcançarmos vôos mais altos... Eu precisei exercitar muito a minha humildade e reconhecer a minha "pequenez" diante de alguns fatos desse ano.

No dia 31 de dezembro eu estarei comemorando com a minha família na casa da minha avó materna. Sou da turma que estará sentada na beira do mar esperando ansiosamente a contagem regressiva para 2017, sem tantos pedidos, metas, planos... pelo menos não nos primeiros segundos do ano-novo.

Moodboard: Uma prancha de temperamento ou painel semântico é um tipo de cartaz de projeto que pode ser composto de imagens, texto e amostras de objetos em uma composição da escolha do criador do quadro.

12 de dezembro de 2016

#Canção de segunda - Trem Bala


Os dias andam tristes ultimamente... Esses meses com datas festivas me deixam bastante mal e com um aperto no peito esquisito. A musica Trem Bala é uma daquelas canções que acalmam e faz lembrarsobre as coisas e as pessoas importantes na nossa vida.

                 


              

Não é sobre ter
Todas as pessoas do mundo pra si
É sobre saber que em algum lugar
Alguém zela por ti
É sobre cantar e poder escutar
Mais do que a própria voz
É sobre dançar na chuva de vida
Que cai sobre nós

É saber se sentir infinito
Num universo tão vasto e bonito
É saber sonhar
E, então, fazer valer a pena cada verso
Daquele poema sobre acreditar

Não é sobre chegar no topo do mundo
E saber que venceu
É sobre escalar e sentir
Que o caminho te fortaleceu
É sobre ser abrigo
E também ter morada em outros corações
E assim ter amigos contigo
Em todas as situações

A gente não pode ter tudo
Qual seria a graça do mundo se fosse assim?
Por isso, eu prefiro sorrisos
E os presentes que a vida trouxe
Pra perto de mim

Não é sobre tudo que o seu dinheiro
É capaz de comprar
E sim sobre cada momento
Sorrindo a se compartilhar
Também não é sobre correr
Contra o tempo pra ter sempre mais
Porque quando menos se espera
A vida já ficou pra trás

Segura teu filho no colo
Sorria e abraça teus pais
Enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala, parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir

Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá
Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá

Segura teu filho no colo
Sorria e abraça teus pais
Enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala, parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 
Estarei comentando com vocês sobre o BEFA (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5

11 de dezembro de 2016

Conselhos para o meu "eu" de 2016.

ou,
O Pior Ano da Minha Vida, Outra Vez! 


Nas minhas pesquisas mais interessantes recentes nos catálogo de séries do Netflix. Lembrei-me dos primeiros seriados que eu assisti no canal do Disney Channel para um publico infanto-juvenil.

O The Worst Year of My Life Again! é um típico seriado para o publico infanto-juvenil, o seriado acompanha a vida de um viajante no tempo. Alex King é um garoto que passou por um péssimo ano, e deseja em seu aniversário que o próximo seja melhor, só que as coisas não acontecem bem como se esperava. Ele volta ao início do ano passado e terá a chance de evitar os desastres que passou se repitam... Mas, não é sobre isso que eu vim falar.

Eu resolvi escrever uma carta com conselhos que eu daria para o meu "eu" de 2016: Esse ano de 2016 tem sido o meu "The Worst Year of My Life". As expectativas para esse ano, continuariam sendo as mesmas dos dois últimos anos "... surpreenda-me que eu te surpreendo.”
Os anos anteriores, foram anos de muitos projetos e conquistas: estágios, Getep´s e TCC. Esse ano de 2016, eu estava mais tranqüila sem muitas perspectivas... Anos pares, costumavam me deixar mais tranqüilas.

As ultimas sete matérias da faculdade de Psicologia após o TCC foram desgastantes. Além, do necessário. Uma matéria "mais do mesmo" sobre RH? Como assim... Como desenvolver um projeto acadêmico? Os meus trabalhos já tinham sido todos concluídos... As matérias optativas: Hospitalar (N3 e as minhas crises de ansiedade...), a matéria de Direitos Humanos e os debates eternos... Psicopatologia II foi uma das matérias que mais me surpreendeu no semestre passado: O trabalho dentro do CAPSI foi fantástico! Não poderia me formar em Psicologia sem ao menos ter conhecido os usuários e a estrutura daquele lugar. Psicologia da Família com os mesmos textos dos semestres anteriores, a mesma estrutura de passar o conteúdo e a mesma N3. Nesse trabalho eu e minha dupla tiramos 10! mesmo tirando a nota máxima, eu fiquei frustrada com esse trabalho... Será que me tornei aquelas pessoas exigentes demais consigo mesma?

Falando em frustrações... Eu nunca pensei em ter o meu próprio negócio. Antes mesmo de me formar em Psicologia eu escolhi a ênfase B (Institucional) para os estágios obrigatórios na faculdade. Pois, a idéia de ter uma clinica sempre me assustou... 

O salão de beleza foi um "negócio familiar" que já estava em funcionamento... Com funcionários e uma estrutura montada. Com alguns erros administrativos e com uma equipe resistente a mudanças... Pessoas ruins se tornam profissionais ruins. Nesse período tive crises de bulimia nervosa e o meu estômago ficou em carne viva nesses meses... Eu e a minha família ainda não nos recuperamos completamente; tanto financeiramente quanto o "psicológico" que ainda está bastante abalado.

Se na passagem do ano novo eu acordasse no dia 1° de janeiro de 2016 e tivesse que re-viver esse ano como o personagem Alex King do seriado "The Worst Year of My Life Again!": Eu viveria esse ano de 2016 com mais calma. Controlando a minha ansiedade... Além de me empenhar nas ultimas provas e trabalhos... Eu curtiria mais os últimos momentos da faculdade; Eu não conseguiria fazer a minha mãe mudar a idéia de comprar o salão de beleza... Mas, poderia não ter entrado nessa "furada..." podia ter usado esse tempo para estudar na biblioteca da faculdade ou no CAPSI... Quanto menos tempo eu passasse ali naquele ambiente hostil eu ficaria melhor e não teria a metade dos problemas que eu tive...

Na noite 31 de dezembro de 2016 vou olhar para o céu e lembrar de tudo que vivi nesse ano: as mágoas, os sorrisos, as lágrimas... Na contagem regressiva, eu estarei implorando para que os 365 dias de 2017 venham logo!


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 
Estarei comentando com vocês sobre o BEFA (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5




1 de janeiro de 2016

1/366 - 2016!


Primeiramente, feliz ano novo! É assim que começamos as postagens aqui no Lado Milla. Faltam apenas algumas horas para acabar o 1° dia do ano de 2016 mas, eu não poderia deixar de escrever sobre: Reveiwon, ano velho e expectativas para 2016.

Assim como no ano passado, passei em casa com meus pais, meus avós, tia e primos. Com direito a comilanças, churrasco e bebidas... Estourei a garrafa de champanhe pela primeira vez! Não tomei banho de espumante. Porém, continuei tendo os pensamentos positivos para os próximos 366 dias desse novo ano. 2015 foi um ano MARAVILHOSO! Cheio de ensinamentos & aprendizados. Na faculdade de Psicologia, foi um ano que eu "colhi bons frutos" nos dois semestres desse ano (apresentei o meu TCC!) .

Passei o Reveiwon me empanturrando de churrasco e canudinhos de maionese fazendo pequenos intervalos com guloseimas: Sorvete e docinhos de festa (cajuzinhos, brigadeiros e beijinhos). Com a minha família em volta da churrasqueira tagarelando assuntos "insanos".

Esse ano, teve espetáculo de vinte minutos de queima de fogos na Beira-Mar. Sem a cascata de fogos na ponte Hercílio Luz...  Porém, não assisti nem pela televisão. Mantive as minhas energias brindado e conversando com os meus familiares e realmente confiante no clima “ano novo, vida nova…”.

As expectativas para esse ano de 2016 continuam sendo as mesmas dos dois últimos anos "... surpreenda-me que eu te surpreendo.”.

FELIZ ANO NOVO!!!
© Lado Milla
Maira Gall