1/4 de memórias
Mostrando postagens com marcador 1/4 de memórias. Mostrar todas as postagens

1 de janeiro de 2018

1/365 - 2018!

Primeiramente, feliz ano novo! É assim que começamos a primeira postagem do ano? Estou aqui "hibernando" depois de almoçar as sobras das comilanças do Reweiom... Como virou tradição aqui em casa, fiz novamente a minha famosa torta salgada. Não querendo ser metida, a torta ficou linda e principalmente deliciosa!


Passei o Reveiwon em casa com meus pais e meus avós maternos. Com direito a comilanças e bebidas.... Eu, mãe e vó fomos á Beiramar  para ver  os showzinhos de musica  enquanto esperavamos os fogos...

Nos ultimos segundos de 2017 esperando os fogos e os estouros de champannhe... Eu tomei banho de champanhe e isso costuma ser um bom presságio para o proximo ano.... E os pensamentos continuaram positivos para os próximos 365 dias desse ano de 2018. As ultimas postagens do mês de Dezembro foi cheio de retrospectivas... O ano anterior, foi um ano bastante pacato. Porém, necessário fechei ciclos importantes na life e vivi intensamente os 365 dias desse ano.


Já passei outros Reveiwons; Animados, Divertidos, chorosos.... Esse ano,a Beira mar, teve aquele espetáculo de vinte minutos de queima de fogos e eu estava lá, admirando toda aquela vibe de fim de ano. Agradecendo por todos os momentos maravilhosos e outros momentos nem tão bons assim... Esse ano eu estou realmente confiante no clima “ano novo, vida nova…”.

Há três anos, eu continuo fazendo o mesmo pedido “Vamos combinar uma coisa; surpreenda-me que eu te surpreendo.” e esse pedido continua se concretizando desde então...


Registrando os ultimos momentos de 2017






Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei comentando com vocês sobre o Blogmas2k17 (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5

3 de dezembro de 2017

Blogmas #3: Memórias Natalinas


As minhas melhores memórias natalinas aconteceram na infância: Eu fazia uma lista dos possíveis presentes que eu gostaria de ganhar no natal (bicicleta, sorveteria da Barbie, Ken, walkman, Discman...); Na escola tinha apresentações com musicas natalinas e as lembrancinhas que eram feitas pelos alunos; Na televisão aconteciam os filmes clássicos e o especial da Xuxa de Natal. 

Hoje em dia, o meu problema não é necessariamente com o Natal... É a tentativa de enfiar o "espírito natalino" pela goela abaixo, ainda no final do mês de Novembro. Nesse mês, as lojas e departamentos com decorações natalinas e para piorar, tocando o CD da Simone no ultimo volume: Então é Natal... Quando eu ainda estou fazendo uns 3ou9 trabalhos da faculdade com o prazo final no ultimo dia do mês de Novembro. Na maioria das vezes o "espírito natalino" vem um pouco tarde... Outras vezes, ele nem vem. Paciência...

O Natal pontualiza os nossos próprios sentimentos. O "milagre natalino" não funciona como um passe de mágica para nos sentirmos melhores... O Natal só te fará feliz se você for Feliz no decorrer do ano.




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 
Estarei comentando com vocês sobre o Blogmas2k17 (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5

25 de novembro de 2017

Por que eu blogo?


 A Isadora do blog E agora Isadora? teve a idéia de entrar no Amorzices e acabou me dando uma ideia com seu texto. Eu já escrevi sobre escrever e já escrevi sobre como é ser alguém que escreve em blog. Mas, mas acho que nunca escrevi direito sobre blogar. 

Eu nunca tive vergonha de dizer que blogo. Porém, eu tanbém use diariamente a palavra de maneira sarcástica do mesmo jeito que fazem com blogosfeira ou blogayrinha. Eu escrevo uma coisa aqui, outra ali e fotografo acolá na blogosfera mas, eu não me refiro a mim mesma como blogueira. Nem sei quando isso virou motivo de orgulho [irônico, né?]

Qual a motivação de escrever na Blogosfera? 

Desde o inicio, quando começaram a surgir os primeiros blogs eu nunca soube o que estava fazendo "A minha amiga tinha um site pessoal que era muito parecido com o formato dos blogs pessoais dos dias de hoje... Eu sempre achei tudo aquilo o máximo! Queria fazer um "site pessoal" no mesmo estilo ..."A primeira vez que visitei a plataforma e apertei no botão -criar um blog -  A cada texto que eu escrevia e publicava a sensação de não saber o que eu estava fazendo permanecia...
Conheci pessoas que não faziam a menor idéia da dimensão que tudo aquilo iria tornar-se, éramos somente pré- adolescentes escrevendo sobre dramas de adolescentes.

Tem coisas que só sai da gente por escrito... Eu tenho necessidade de escrever. E expremendo um pouquinho sai um texto bacana.

Quando eu escrevo no blog vejo que eu acabo ultrapassando os meus próprios limites e acabo transformando cada texto banal em algo tão pessoal. É irônico pois, acabo escrevendo mais de mim do que posso suportar lendo. Tenho necessidade de escrever e fotografar para expressar de alguma forma tudo o que sinto e na maioria das vezes eu não consigo falar.

O Lado Milla foi criado em Fevereiro/2014 eu ja não era a pré-adolescente  do inicio desse texto. Mas algumas coisas da adolescencia permanecem firme e forte na vida adulta como o meu gosto pela escrita na blogosfera.

Eu gosto muito de escrever para vocês sobre os meus últimos semestres da faculdade de Psicologia, como foi os meus estágios obrigatórios de Psicologia escolar e Psicologia Social, escrevi cartas que eu nunca tive coragem de entregar aos devidos remententes ou sobre as minhas estranhezas. Sobre como eu estou lidando com o meu desemprego de uma recém-formada. Estou lendo livros para passar o tempo e escrevo as resenhas aqui na medida que eu vou terminando de ler esses livros.

Dificilmente eu conseguiria escrever sobre algo imposto: sobre lançamentos, tendências, recebidos do mês... Eu sempre quis fazer parte dos blogueiros que fazem parceria com grandes e pequenas editoras de livros para receber os lançamentos. Mas, isso não iria alterar sobre a qualidade e a minha opinião sobre a minha leitura.

O " fazer parte..." na Blogosfera é complicado... Surgiram grupos desses de divulgação do facebook na época do BEDA  que quizeram me obrigar a usar o "selinho do grupo" no final de cada postagem do meu Blog ou no lado na barra do Perfil e quando eu neguei me tiraram do grupo dizendo que eu não me encaixava no grupo desses blogueiros. Eu nunca senti a necessidade de comprar uma hospedagem porque eu não queria monetizar esse espaço. Eu preciso escrever para fugir desse mundinho capitalista que tudo tem um preço $$$ e ter um blog gratuito me faz sentir que estou nadando contra a corrente e isso é libertador.

São poucos blogueiros que resistem: "escrevem, blogam, publicam, se preocupa, insiste, toma na cabeça e volta...". Escrever no blog faz parte de mim de uma maneira bem intrínseca, começou na adolescencia escrevendo crises existenciais de adolescente  e quando eu me dei conta eu estava escrevendo sobre a crise dos 30 anos que  me pegou em cheio!  e pretendo carregar para a vida. 

São poucos blogueiros que seguem "por ai", Eu continuo sendo aquela pré-adolescente que não sabe muito bem o que esta fazendo quando estou escrevendo e publico uma postagem. Eu continuo seguindo a vida e devesenquando as pessoas lembram da gente e dizem: Eu me identifico! e o seu cantinho é muito especial.

Tem coisas que só sai da gente por escrito... Eu blogo porque eu gosto de lêr. Eu gosto de blogar porque cada comentário maravilhoso que vocês escrevem, arrancam meu coração e fazem paçoca de tanta doçura. Eu blogo porque eu estou na blogosfera desde 2000. Eu blogo porque conheci vários amigos assim. Eu gosto de mim quando escrevo, eu queria que alguém gostasse das coisas que eu escrevo, Eu escrevo por que sinto que me liberto das minhas mazelas.

Porque, para as coisas fazerem sentido na nossa vida, a gente tem que fazer o que nos faz sentir felicidade. 

A Isadora fez um apelo no blog dela que todos os blogueiros deveriam aderir: "comentem. Não aqui, nesse post (só), mas nos posts que gostarem aqui do blog, de outros blogs, dos blogs amigos. Naveguem, conheçam os blogs de amigos dos amigos...".

Semana passada, eu atualizei o blogroll do Lado Milla pois, conheci uma porrada de gente que bloga. Precisamos mostrar a essas pessoas que nos importamos com o que o amiguinho escreve e oque nós escrevemos importa, vamos curtir/comentar e compartilhar deixar o coraçãozinho desses blogueiros quentinhos de tanto afeto

"Deixem as outras pessoas saberem que o que a gente faz importa, ainda que tenha sido por 5 minutos na vida de um completo desconhecido. É assim e por isso que a gente continua.".

O Amorzices é um projeto mensal, publicado todo dia 15, criado pelo trio de blogueiras sernaiotto + serendipity + desancorando e que terá um tema de base: amor. a partir daí, elas vão falar sobre um monte de coisas. o tema de novembro é amor na blogosfera. eu resolvi aderir ao tema, tá aqui minha contribuição. se você também quiser participar, deixa o link lá no blog delas!


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

1 de fevereiro de 2017

03 anos Lado Milla!


Eu nunca consegui responder aquela pergunta cretina “Porque você tem um blog?” Sempre tenho idéia da resposta, mas ela acaba não respondendo o mínimo das minhas próprias indagações. Já tive blog falando sobre musica (falecido Além do underground…) já tive blog para colocar as minhas fotografias (falecido Versos – Monocromáticos) e já tive outro blog pessoal que durou exatamente 06 anos, antes de fazer uma bagunça irreversível que levou ao seu falecimento rs

Há exatamente três anos atrás, eu criei o "Um lado Milla..." esse Blog, veio para abrir um novo ciclo ( e passou por outros ciclos...) escrevi sobre a minha graduação de Psicologia (semestres, estágios e sobre o TCC), quando eu finalmente consegui um emprego de terceirizada e logo depois fui demitida... Além de ser um"blog pessoal" é o meu cantinho na blogosfera para registrar os meus delírios e devaneios com direito há; textos bastante pessoais, algumas crônicas e os meus registros fotográficos. Escrevo também resenhas: livros, filmes e séries.


A blogosfera muda com uma certa freqüência... É verdade, tem neguinho montando blog para se promover “eu sou!” “eu compro!” “eu como!” “eu visto!”. Transformando em parâmetros, regras e convenções que respinga nos blogueiros que assim como eu escolheram montar o blog para falar da própria vida... Um texto bem escrito, uma fotografia no ângulo perfeito, com boa iluminação e sem tantos ruídos e com um conteúdo agradável para agradar primeiro quem escreve e quem é dona do blog… Nesse caso EU! Não estou excluindo os possíveis leitores do meu blog. Sinto-me feliz por cada comentário que recebo aqui, tanto os elogios quanto às criticas. O elogio das fotografias cada vez mais freqüente. O melhor disso tudo é, quando falam um simples “eu me identifico!” essa troca não existiria e não seria tão espontânea se o conteúdo fosse pensado somente em vocês.

Não arrumei nenhuma resposta que me convença o porquê de escrever e de ter criado um blog (do zero!) . Caso eu fosse perguntada, talvez, a resposta fosse essa “- o Blog é a extensão de mim” uma resposta beirando ao clichê mas é bastante convincente.

Quando eu escrevo no blog vejo que eu acabo ultrapassando os meus próprios limites e acabo transformando cada texto banal em algo tão pessoal. É irônico pois, acabo escrevendo mais de mim do que posso suportar lendo. Tenho necessidade de escrever e fotografar para expressar de alguma forma tudo o que sinto e na maioria das vezes eu não consigo falar.



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5


31 de dezembro de 2016

2016, tchau querido

"... Não é sobre chegar no topo do mundo e saber que venceu/ 
É sobre escalar se sentir que o caminho te fortaleceu..." 


Hoje faltam um dia para o fim do ano. Conto ansiosa os dias para a virada do calendário pois 2016 se encerra como um dos anos mais esquisitos da nossa história. 

As melhores coisas de 2016 aconteceram como o fim de um ciclo: No ano passado, eu apresentei o TCC que foi um projeto de pesquisa sobre Problemas Psicológicos na Migração com os Haitianos na cidade de Florianópolis/SC. Em 2016, eu terminei as sete matérias para finalmente me formar em Psicologia. Sonho realizado!



Hoje escrevo o texto em primeira pessoa, eu não sei escrever de outra maneira... Nesse ano, eu evitei escrever desabafos cansados preferindo escrever sobre outros assuntos: Filmes, séries, livros ou resenhando sobre a ultima leitura... Qualquer assunto que não fosse a vida real.

Esse ano foi o ano das Olimpíadas, do fora Dilma, do nosso segundo impeachment, do fora Temer, do dólar a R$ 3,50, do Briext, das eleições mais disputadas da Ilha, da vitória de Trump, e da morte de Fidel. As coisas mais improváveis no cenário nacional e mundial ocorreram e normalmente pendendo para o lado que menos torcíamos. 

Esse ano teve olimpíadas e eleições e diferente da copa de 2014 poucas coisas mudaram... No campo dos negócios as coisas foram mais lentas, e bastante difíceis para os "marinheiros de primeira viagem" que queriam abrir o seu negócio próprio. Sou da turma que agregou experiências com os acertos & erros nesse ramo. Sigo em frente. fechamos o negócio para amadurecer esse projeto e estudar para nos profissionalizarmos melhor nessa área. Para ser um bom profissional temos que ser uma boa pessoa: Com caráter, humildade, entusiasmo, simplicidade e positividade. 

Nesse ano, as pessoas me impressionaram com a falta de educação em todos os níveis e principalmente com a falta de profissionalismo. No meu primeiro emprego eu sempre ouvia dos meus supervisores "Uma boa pessoa consequentemente é um bom profissional" e esse ano eu senti na pele como é trabalhar com profissionais que são pessoas ruins, mesquinhas e maldosas nas suas atitudes. E isso me causou muito sofrimento.


A consequência disso financeiramente foi muito grande para os dois lados (...) Na forma que o negócio foi fechado, com profissionais sem ética em uma rede de intrigas e fofocas... A insegurança pairou e foi impossível "trabalhar em equipe"É necessário reconhecer os nossos pontos fracos/fortes e recuar algumas vezes, para alcançarmos vôos mais altos... Eu precisei exercitar muito a minha humildade e reconhecer a minha "pequenez" diante de alguns fatos desse ano.

No dia 31 de dezembro eu estarei comemorando com a minha família na casa da minha avó materna. Sou da turma que estará sentada na beira do mar esperando ansiosamente a contagem regressiva para 2017, sem tantos pedidos, metas, planos... pelo menos não nos primeiros segundos do ano-novo.

Moodboard: Uma prancha de temperamento ou painel semântico é um tipo de cartaz de projeto que pode ser composto de imagens, texto e amostras de objetos em uma composição da escolha do criador do quadro.

14 de novembro de 2016

Série: Gilmore Girls



A série Gilmore Girls foi criada por Amy Sherman-Palladino e estrelada por Lauren Graham e Alexis Bledel. O seriado foi exibido no Brasil pelo canal Warner Channel na TV paga. A série estreou em 5 de outubro de 2000 e terminou em 15 de Maio de 2007 na sua sétima temporada. A série conta a história do cotidiano da mãe solteira Lorelai Victoria Gilmore (Lauren Graham) e sua filha Lorelai "Rory" Leigh Gilmore (Alexis Bledel) que vivem no pequeno povoado fictício de Stars Hollow, em Connecticut, pequena cidade com personagens bem peculiares e localizada cerca de trinta minutos de Hartford. A série explora diversos assuntos como família, amizades, conflitos geracionais e classes sociais. 
Lembro de assistir Gilmore Girls quando era adolescente, no canal Warner Channel (canal a cabo). eu cheguei a ver alguns episódios aleatórios na época e algumas reprises da série em horários alternativos no mesmo canal. A identificação com essa série foi quase de imediato: A relação mãe e filha, o vicio por café, o habito de sempre ter um livro na bolsa... E foi na mesma época, que eu descobri a minha dificuldade em assistir séries (indisciplina & ansiedade...). Cheguei a pensar na possibilidade de comprar o Box com os DVDs de todas as temporadas da série Gilmore Girls mas, acabei adiando e nunca comprei. 


Até que o Netflix disponibilizou as 07 temporadas da série Gilmore Girls no seu catálogo. Eu pirei com a possibilidade de maratonar(?) saboreando cada gole de café, com hamburguês decorados de Papai Noel... Terminei a 1° temporada de Gilmore Girls com a certeza que aquela era a série da minha vida! A cada episódio, eu me identificava mais com as histórias e com os diálogos rápidos e inteligentes.  Terminei de assistir os últimos episódios da 7° temporada (ontem) fiquei "saboreando" cada episódio... Vi a abertura da série com a musica "Where You Lead" 154 vezes! A letra – uma referência ao livro bíblico de Rute – tem uma força feminina muito marcante, e com a adição de Louise Goffin na regravação de 2005, remeteu ainda mais à dinâmica de Lorelai e Rory. 

As atrizes Lauren Graham e Alexis Blendel e a sintonia de mãe & filha foram perfeitas em todas as temporadas da série. A protagonista Lorelai tem um relacionamento complicado com os pais, sonhos de carreira a realizar e vários dramas na vida amorosa. A relação de amizade e cumplicidade de Lorelai com Rory não afeta o papel de Mãe que precisou ser "firme" com um toque de doçura... Em alguns eventos não muito legais na vida de Rory. 


Na primeira temporada, Rory Gilmore é uma adolescente de 16 anos filha de Lorelai que tem a mãe como amiga e confidente os diálogos entre as duas é mágico. Rory é uma inteligente e antenada adolescente. Estudante de Chilton, pretende se formar em jornalismo em Harvard. Os planos foram mudando ao longo dos episódios e Rory também acabou sendo aceita em Yale e depois da lista de prós/contras acaba preferindo cursar jornalismo em Yale. 

Os relacionamentos amorosos de Rory Gilmore demonstram o amadurecimento da adolescente durante o seriado: 

Dean Forester, Foi o primeiro namorado de Rory um príncipe perfeito que no decorrer dos episódios se transformou em um sapo. O personagem se transformou em um namorado sufocante, ciumento, impulsivo e chato. Apesar do relacionamento imaturo por causa da idade de ambos, eu esperava que a amizade entre Dean e Rory prevalecesse não perdendo assim, o sentido do personagem na série. 

Jess Mariano é o sobrinho de Luke. Foi morar em Stars Hollow contra sua vontade por ter uma vida instável e rebelde em New York. Ele veio para bagunçar o relacionamento de Rory com Dean , ele tem um estilo independente e bad-boy e como Rory, adora ler. Acabou se tornando uma "má influência" para a Rory no inicio. Mas, tornou-se um verdadeiro amigo que fez Rory repensar as suas ultimas atitudes: largou a faculdade de Yale e estava em uma fase rebelde que ela e não estava querendo ouvir ninguém. 

Logan Huntzberger: Conheceu Rory na faculdade. Seu pai é um esnobe jornalista, dono de jornais por todo o EUA. Logan é o bom vivan fazendo parte da associação vida e morte e vivia em baladas e porres acabou influenciando Rory que acabou largando a faculdade de Yale por um período. No final, os dois acabaram amadurecendo Rory volta para a faculdade e Logan começa a trabalhar com seu pai. Logan pediu Rory em casamento no penúltimo capitulo da 07 temporada. Mas, ela não aceitou por ainda não se sentir preparada.

Nesse período que eu estava fazendo maratona de episódios da série Gilmore Girls eu evitava ficar lendo "spoilers" na internet. A cada episódio/temporada que passa a série só melhora, eu adorei a maratona que fiz nesse período de 2 meses. Assim que eu terminei de ver o ultimo episodio da sétima temporada bateu aquele vazio, típica sensação de quem termina uma série. 


O Netflix anunciou a maravilhosidade do revival.“Gilmore Girls: um ano para recordar” é composta de 4 episódios de 90 minutos, com estreia marcada para 25 de novembro. Cada episódio vai retratar uma estação do ano e aparentemente começa com o inverno, durante as festas de fim de ano.


23 de agosto de 2016

BEDA #23 E ai, sumida?



— E aí, Sumida?

(Pô, boy, não ferra. Não vê o caos que essa pequena palavra me causa? Eu tava indo bem, sabe? Bebendo minha rotina como se ela fosse um sonífero de qualidade ruim, tentando escapar de qualquer jeito das memórias que cutucam meu corpo cansado. Eu tô cansada de tanto pensar em você. Você não faz ideia, boy, mas tomo overdose tua todas as noites, quando deito a cabeça no travesseiro. Não preciso nem dormir, porque você me vem em sonho de olhos abertos, enquanto fico patética encarando o teto do quarto, imaginando qual teto que te cobre...) 
— E aí, tudo bem?

(Ah, morena, mesmo não movendo nenhuma vírgula para te encontrar precisava te encarar e perguntar o porquê que você saiu tão apática daquela festa... Eu esperava que você ao menos gritasse e esperneasse. Queria saber o que você estava sentindo me vendo com outra... Ops, agora é minha namorada..)
— Tudo certo, senti sua falta. 

(Cínico. Cínico, escroto, idiota, imbecil. Tenho tanta raiva tua, que poderia lançar esse celular na parede. Como assim, cara? Vem me chamar de sumida e dizer que sente minha falta? Se sente minha falta, por que não veio me procurar? Ai como eu sou burra!!! Eu deveria estar rindo de você por sentir minha falta, ao invés de ficar feliz por essas mensagens minimalistas que dizem pouco, mas dizem demais. Odeio você. Isso. Exatamente isso que vou te responder. O-d-e-i-o-v-o-c-ê...)
— Senti tua falta também.

(Ah, morena, nós estávamos nos vendo com certa frequência que confesso já estava me sentindo “sufocado”, mas, depois percebi que a sua presença me faz falta... A culpa é sua! Por ser tão 8 ou 80 e “mimadinha”). 
— E aí, saindo muito?

(Queria te dizer que ando saindo demais, mas a verdade é que ando me escondendo do mundo. Sei lá, boy, estava com medo de esbarrar no teu sorriso e quebrar meu coração de novo... Deu um trabalhão danado colar pedaço por pedaço. Agora meu coração pulsa levemente descoordenado. Meio manco, talvez. Então, sendo bem sincera, eu não ando saindo. Nada. Só vou à padaria, comprar um pedaço de sonho, para tentar adoçar do lado de dentro...)
— Sim, muito. E você?

(Mais ou menos. Tenho feito aqueles mesmos "programinhas de casal". No começo foi gostoso... Ela não sorriu pelo fato do meu quarto ser da cor "azul calcinha" e confessou logo depois que não achou graça... Ah, morena, como você me faz falta: seu sorriso meio torto, sua gargalhada escandalosa e sua forma estranha de falar sobre os seus sentimentos).
— Sim, bastante também.

(Good for you. Deve ser bom ter uma namorada parceira, não é? Como fui besta de acreditar que eu e você naquele quarto era suficiente. A gente tinha um céu só nosso e o mundo poderia acabar com a gente ali dentro que, para mim, tudo estaria bem. Fui inocente em crer que éramos suficientes por sermos só. Mas tudo bem. Vida que segue, não é? Mesmo doendo demais aqui dentro — e que eu não transpareça essa dorzinha miúda — quero que você seja feliz. Enormemente feliz. É isso...)
— Foi bom conversar contigo... Mas preciso ir. 

(Te encontrei passando de carro próximo ao meu bairro. Será que você me viu? Foi rápido, mas, percebi que a sua expressão estava apática... Ah, morena, confesso que" sua ausência em mim fez morada..." li isso em algum lugar.)
— Hei, espera... Tens vindo muito para o "Sul da ilha"?

(Devo confessar? Mudei a rota da minha vida, só para tentar esbarrar na tua. Contei não? Sou levemente masoquista e tento me torturar com memórias que o estômago já enjoou de remoer. Vou sempre para o Sul da Ilha, porque tem muito de nós dois perdido naquelas esquinas e seria insanidade demais permitir que a memória te esqueça...)
— Não... Bem pouco. 

(Quero te encontrar! Quero muito te encontrar. Quero você de novo).
— Ok, a gente se encontra por ai...


#plural é um projeto do blog Palavras e silêncio da M° Fernanda Probst

20 de março de 2016

Minhas Coleções...


"... Alguns colecionam como trabalho
outros só como herança
tem quem colecione como um hobbie
e eu coleciono como lembrança."

Na minha infância, sempre que eu gostava muito de algum objeto eu arrumava um jeito de ter outros objetos para colecionar.As minhas primeiras coleções foram de:  Tazos (aqueles que vinham nos salgadinhos...); figurinhas de chicletes; adesivos decorativos (tinha até um álbum com folhas autocolantes para colocar esses adesivos...); Na minha época mais fanática de Chiquititas e Sandy&Junior  eu colecionava todas as reportagens que saiam nas revistas (antes da internet...) e guardava em folhas de plástico em um fichário da época evolui para vários pôster de outras bandas que eu gostava na época.

Hoje em dia, eu tenho alguns objetos (colecionáveis...) que fazem um papel decorativo na minha estante de livros e no meu quarto.

Bottons Literários (músicos e bandas):

Eu comecei a colecionar Bottons-literários em 2013. Já falei sobre elas aqui no blog, onde falo sobre os eventos da Intrínseca por isso não vou me prolongar muito. Atualmente, eu tenho 26 bottons que ficam guardados nessa lata.



Marcadores de Livros:

Eu compro os meus livros nas livrarias-físicas da minha cidade. Quando finalmente eu escolhia o livro que ia comprar e caminhava até o caixa para finalizar a compra, a atendente colocava um "marcador de pagina" dentro do meu livro novo. Geralmente, era um marcador bem fulerinho fazendo propaganda da própria livraria e outras vezes marcadores- literários. A editora Intrínseca uma vez no ano faz a Turnê Intrínseca, e sempre tem um kit com marcadores de livros e Bottons literários para as pessoas que vão no evento é de onde vem a maioria dos bottons/marcadores da minha coleção.


Ganhei em um sorteio no blog Mil alices que veio esse marcador de páginas fofo com a carinha da alice que faz companhia para versão pocket da editora Zahar


Mc Donalds

Compro o Mc Lanche Feliz por causa do brinde #confesso! As miniaturas decoram a minha estante de livros.


Kinder (Os sobreviventes...)

E u guardava essas miniaturas do Kinder em uma caixinha de papelão do Unibanco e que tem um valor bastante afetivo (de uma época bastante bacana da minha vida...) comprei outros Kinder´s desde então, a coleção foi aumentando/diminuindo e tive que guarda-los dentro desse pequeno báu de madeira.



O que voces acharam das minhas coleções ??? E ai vocês colecionam alguma coisa? Eu vou adorar saber deixe aqui embaixo nos cometários.

27 de agosto de 2015

BEDA#27 - O ano que apresentei o TCC...

Ainda no ensino médio,  nasceu a vontade de fazer faculdade de Psicologia e que eu passaria 5 anos (?), estudando só as matérias que eu gosto! Principalmente, nunca mais veria matemática na minha vida!
Meu primeiro dia de aula na faculdade foi assustador! Eu, recém saída do ensino médio com uma turma de alunos já na sua 3° e 4° graduação... Me senti "pequena" diante dos assuntos e opiniões MEGA elaborados e eu ficava quieta com medo de falar alguma besteira. Segui com essa turma até a 5° fase, tive que refazer algumas matérias e acabei diminuindo a quantidade de matérias do semestre. Dessa turma se formaram poucos alunos (menos de 10 alunos) alguns foram desistindo durante os semestres... Mas, não é sobre isso que eu vim falar.

As turmas do curso de Psicologia que "Migrei" durante esses semestres tinha uma característica em comum: Desunião (mal de humanas?). Tínhamos uma nota a N3 "trabalhos em grupo" quando eu não tinha a opção de fazer individualmente sempre foi um "parto" de achar um grupo decente. Minhas piores crises de gastrite se devem a esses momentos de maior stress durante esses dez semestres da graduação.

Cheguei a trancar a faculdade 2x: Há primeira vez, eu não tava vendo mais sentido no curso que escolhi,.. Depois de ter feito um estágio não obrigatório desses que pagam mal e não tinha nada haver com Psicologia.... Fui fazer Administração, foi a fase que eu mais me diverti! Era uma turma de jovens animados toda sexta-feira tinha encontro da turma e balada TODO final de semana... No final do semestre eu decidi voltar para o curso de Psicologia. Há segunda vez, eu tirei umas férias de um semestre. Me desentendi com a supervisora de estágio na época, quando voltei no segundo semestre e soube que eu não fui a única a "profissional" se desentendeu com outras alunas também e acabou sendo demitida. Prossigamos, porque ainda não é disso que vim falar.

Vim falar sobre o TCC. Na semana passada, eu apresentei o meu Trabalho de Conclusão de Curso naqueles longos e intermináveis 30 minutos entre a minha apresentação #tremia e mais trinta minutos da pontuação dos avaliadores e o recebimento da nota. Em momento algum, pensei na nota... Queria passar TODO o meu conhecimento do projeto em si, e que toda a minha trajetória até ali não foi em vão teve crescimento em todas as etapas principalmente dos estágios (Básico e Específico). No dia seguinte, minha supervisora me mandou um e-mail, parabenizando-me pela apresentação e informando que a  minha nota foi 9,5. Fiquei Feliz!

Em 2005, achei que esse momento nunca chegaria e em 2010 achei que não iria me formar em Psicologia... Agora, estou aqui, sentada escrevendo sobre toda a minha trajetória e confirmando aquela velha história que diz  que: A vida " não é sobre o quão rápido chegarei lá/não é sobre o que está me esperando do outro lado. É a escalada...".

Feliz dia da Psicóloga 
para mim!!!

25 de agosto de 2015

BEDA #25 - A última vez que você chorou. [642 COISAS]




"... finalmente havíamos chegado ao final daquela semana. Aqueles dias, em que mais pareciam um acúmulo de minutos infinitos... A semana não rendeu, os trabalhos da faculdade acumularam... Os sentimentos costumam ficar mais aflorados no final do mês mas, aquela semana estavam no pico do (in)suportável. 

Não foram poucas as vezes que tive que me segurar para não chorar. Em situações que dificilmente eu engoliria o choro e aceitaria e acabasse demonstrando também, que eu não estava bem... Resolvi ser forte! Respirava, olhava para cima meus olhos avermelhados ardiam... Tudo isso, para não derramar uma lágrima sequer... E repetia como um mantra o refrão daquela canção: "And big girls don't cry Don't cry..."

Cheguei em casa, segurei a Mallu (minha cadelinha) no colo "sufoquei" ela um pouquinho como é de costume, fiz carinho na cabeça do Teddy (meu outro cachorro) que estavam me esperando no quintal e finalmente entrei em casa. Entrei direto no meu quarto para largar a minha bolsa na bancada e depois tomar um banho ou comer alguma coisa... Mas, olhei para aquele quarto que era "o meu cantinho" e resolvi ficar. 

Sentei no chão do quarto, e depois de um longo suspiro uma lágrima rolou e eu chorei... Apenas chorei, outras lagrimas vieram em seguida parecendo já saber o caminho apenas deixei as lagrimas caírem soltando-as livremente. 



O projeto 642 coisas sobre as quais escrever é um projeto bem interessante, é um incentivo a escrita. E apoveitando que estamos na 3° e ultima semana do BEDA resolvi resgatar (escrevi essa postagem aqui) sobre esse projeto aqui no Blog.

23 de agosto de 2015

BEDA #23 - Beto Carrero World


Beto Carrero World é o maior parque temático da América Latina, localizado no município de Penha, Estado de Santa Catarina, no Brasil. Foi inaugurado pelo já falecido Beto Carrero, no dia 28 de dezembro de 1991. Atualmente considerado o 6° melhor parque de diversão do mundo, o empreendimento possui uma área total de 14 mil km², sendo dividido em três grandes segmentos:
  • Zoo
  • Parque
  • Shows


Madagascar
crazy River

Faltou coragem para brincar (molhar) fiquei só fotografando mesmo.









25 de março de 2015

Template: tá faltando peça no quebra-cabeça...♪


No inicio do mês de março, eu ando ouvindo exageradamente o ultimo álbum do HG intitulado de "Insular". Escrevi esse post, na primeira semana sobre uma das músicas que o trecho "Recarregar, reiniciar, reinventar e reabastecer... " acabou virando um dos meus mantras para esse ano. 

Na semana passada, inspirada em alguns blogs que estão entre os "meus favoritos" todos esses blogs tem uma imagem que identifica. Por exemplo: O blog da MF tem um lindo dente de leão, a Bárbara é aqueles hexágonos de colmeias de abelhas e a tem uma ilustração dela com um gatinho... Foi pensando nisso, que procurei uma imagem que desse "identidade" ao meu blog e que fizesse os leitores identificarem/relacionassem a figura ao meu blog. 

Uma imagem que tenho me identificado muito essa semana é de uma peça do quebra cabeça e o HG (de novo ele!) tem uma música intitulada de quebra cabeça que um trecho diz assim:



Há primeira vez que eu usei o termo "Quebra cabeça" aqui no blog, foi em um post como esse para inaugurar o layout novo, já que a tradição pede assim. Naquele post, eu dizia que, mesmo com a minha analfabetização com programação e afins... eu gosto da sensação de estar "montando um quebra cabeça" e de deixar o template do jeitinho que eu quero. 

O logotipo tem peças de quebra cabeça com as cores; cinza (escuro e claro), vermelho e laranja"sombreando" as fotografias das coisas que eu mais gosto e me sinto a vontade de escrever aqui sobre : Músicas, livros, fotografias e escrever sobre o cotidiano e a minha vida.



O plano de fundo eu prefiro os mais "clean" queria um plano de fundo com somente uma cor. Mas, encontrei esse com peças de quebra cabeça e "colori" com as cores cinza, vermelho e laranja e acabei gostando do resultado mesmo tendo ficado colorido não deixou de ser "clean" e assim, não fugindo da idéia inicial.

Acho que é isso... 

A vida ta corrida! Minha mãe fez cirurgia na semana passada e ta no processo pós cirúrgico... Minha casa, estava em obras desde a semana retrasada. É, a vida está corrida e bagunçada. Porém, escrevo mais sobre isso nas próximas postagens desse genuíno Blog.

1 de fevereiro de 2015

1 ano!

Eu tinha um blog anterior e já tinha descoberto as delicias/dores de ter um blog Pessoal. Porém, depois de 06 anos baguncei de uma forma, que foi impossível de reverter a situação.

Tenho uma necessidade urgente de escrever! Naquele momento, eu precisava de um "canto" mais organizado na blogosfera para colocar os #mimimis diário, meus textos aleatórios e os meus registros fotográficos. "Um novo ciclo..." foi esse o primeiro pensamento que surgiu quando cliquei no botão ‘criar’ e comecei a montar esse blog. Pensei em colocar algo com "Versos..." no titulo mas, lembrei do trecho do Caio Fernando de Abreu:
“... Márcia tá bonita, mais adultinha, assim com um ar meio da Milla.”
Então, o blog se chamaria "Um lado meio Milla..." por ser um blog pessoal nada mais justo ter meu apelido de infância no nome do blog. Quando completei a 50° postagem  vi que, estava dando certo e que vinha cumprindo o papel de blog pessoal com, textos pessoais no estilo "my dear diary...". E cada dia com mais segurança em colocar aqui alguns ensaios fotográficos com o meu trabalho de fotógrafa free-lance. Os rituais para escrever sempre mudam e quando as "inspirações" aparecem não fico me podando por medo de interpretações e julgamentos como o próprio nome do blog diz é somente "Um lado..." da história.

Hoje, dia 1° de fevereiro de 2015 o blog "Um lado meio Milla..." completa 01 ano! Pensei em fazer um sorteio de aniversário de um kit contendo; livros, marcadores e bottons literários preciso somente amadurecer mais essa idéia... Primeiramente, fiz uma montagem com algumas fotografias no canva.com para registrar a comemoração aqui no blog.



Inspirado nesse blog aqui. Nesse primeiro ano do blog, vou fazer algo diferente. Parar de usar as palavras e prestar um pouco de atenção aos números. E a seguir então, os números do 1 ano do Um lado meio Milla... :

Foram 365 dias, e contando com este são 174 posts, dividido em 06 categorias. Todos esses posts receberam ao todo 447 comentários e esse blog tem 48 seguidores. Em tempos de, c]
[65s\urtir/compartilhar é bom saber que as pessoas param para ler o que eu escrevo e tiram um tempo para comentar pelo menos um "olá" o que acaba se tornando um estimulo para continuar escrevendo.

Agora falando do que eu andei vendo nas estatísticas. Essa parte é engraçada, porque dá pra ver como as pessoas chegam ao seu blog. E olhando as palavras chaves que algumas pessoas colocaram no google, eu tive que rir. Algumas pessoas caíram aqui pesquisando:
  • blogueiras e livros econômicos: Foi uma das postagens mais visitadas (com 28 visualizações) apesar de poucos cometários está sempre entre os "Versos Populares".
  • eu goato de um menino o que eu posso falar com els: Nossa! o primeiro conselho seria escrever direito... O segundo conselho é procurar um blog mais romântico pois esse aqui anda bastante azedo para esses assuntos do coração.
  • eu não faço a menor ideia do que eu tô fazendo com a minha vida trilha; Alguém querendo  dar fim na própria vida???  Não, graças a Deus! Só estavam querendo escutar a trilha sonora do filme que a fofíssima da Clarisse Falcão é a personagem principal.
  • conto contigo? escrevi uma cronica em 2010 com esse mesmo titulo...Postei aqui.
  • livros edição econômica é versão pocket? foi sobre essa mesma postagens  que escrevi acima...
  • projeto 52 x 5 Preciso retornar a fazer o projeto 52 semanas larguei na metade por motivos de FÉRIAS!
O pais que mais acessa o "Um lado meio Milla..." segundo o Brasil é; os Estados Unidos, depois a Russia, Alemanha Índia e por ultimo a China. Meus mais que sinceros agradecimentos para os blogueiros internacionais!

Falei demais... 

Agora eu quero comentários de vocês (Esse é o meu maior presente!) pois, será uma forma de nós comemorarmos juntos esse genuíno espaço que foi se transformando ao longo desse ano. Fale sobre o blog! O que mais gosta de ler, o que menos gosta, se quer ler sobre algo que nunca falei, como chegou até aqui, enfim, falem! Quem nunca comentou, se apresente!

9 de janeiro de 2015

Mallu&Teddy- "Convivendo com os piores cães do mundo"


As melhores “lições de vida” que eu pude ter na infância, adolescência e juventude… Eu só pude aprender tendo vários cães que passaram nessa minha trajetória de vinte e poucos anos. Assim que minha família trocou o apartamento pela casa que moro até hoje ganhamos a primeira cachorrinha da raça, pequinês, com o nome de chinoca. Era uma cachorrinha de porte médio, bem velhinha já e muito braba não me lembro de ter brincado muito com ela.

Quando construímos a casa nova moramos por um tempo na casa da vizinha… E lá conheci a raça que é minha paixão; Pinscher, falem o que quiserem, mas eu adoro essas minis-torturas em forma de cães… Ganhei a minha primeira cachorrinha, mas tive que largar a mania de chupar dedo (mais tarde fiquei com nojo do meu dedinho, pois a cachorrinha lambeu…) a cachorrinha era pincher O era uma cachorrinha pretinha e se chamava Dara (sim, a cigana…).

A Dara era uma cachorrinha atentada e não curtia muito criança, inclusive a dona, que mordeu-brincou e mordeu mais outras tantas vezes… A cachorrinha dormia no banheiro com casinha e cobertor quentinho mesmo assim pegou pneumonia e pinscher é forte com doenças, mas quando fica doente dificilmente escapa. Para não ficarmos tanto tempo sem cachorro em casa, ganhamos outra pinscher com o nome de Dara II ela era mais calminha que a primeira cachorrinha, mas com as mesmas características… A Dara II ficava na casinha de madeira na cozinha, tenho muitas lembranças daquela “pestinha” correndo atrás de mim… 

Tive outros cachorros da raça pinscher: O pingo (primeiro cachorro macho era o verdadeiro homem da casa…). O Pedro cachorrinho adotado ele veio com uma doença na cabeça ( fiquei traumatizada com esse episódio...). A Thalita foi morar na casa da minha vó e já esta bem velhinha com 15 anos é xodó da família

Em 2006 ganhei um “amigão” dando um pause na saga de pinscher, s. um amigo do meu pai queria se desfazer do cãozinho, sabendo que tínhamos perdido um recentemente perguntou se não queríamos um Lhasa apso, sem nem saber que raça era resolvemos aceitar… Encontramos um monstro peludo kkk mais muito simpático e amoroso, o probleminha do Teddy (é o nome dele…) é que ele é muito “genioso” e brabo se não for da maneira que ele quer ele morde (vivo com a mão em lasca…).

Hoje em dia o pessoal aqui de casa apelidou o Teddy de cachorro de velho, ele não aceita brincadeiras o que ele mais gosta é de ficar exparramado no colo, ganhando carinho na cabeça… Nota-se que o cachorro tem uma vidinha bem difícil, né.
Em 2008/2009 A thalita ficava de chamego com o cachorro do vizinho e ficou prenha… Ganhou dois cachorrinhos ficamos com a menina chamada de Mallu Malenotti como o próprio nome diz Mallu de maluca mesmo e é a cachorra mais cara de pau da historia leva bronca e vem toda manhosaaa para quem deu esporro, ODEIA motos e é mal educada com desconhecidos do modo de eu ficar com vergonha, pois ela quer morder todo mundo… A Mallu veio para acabar com o sossego do Teddy huahuahauaha os dois se entendem muito bem! Ela manda e ele obedece… 
Como eu falei no inicio desse texto tive verdadeiras lições de vida com esses seres “terríveis” e as lembranças da infância só foram melhores, pois esses seres estavam junto de mim mordendo, brincando correndo atrás de mim… E hoje em dia o Teddy e a Mallu mesmo sendo bichanos diferentes continuam essenciais para não deixar a vida de adulto TÃO chata.

1 de janeiro de 2015

1/365 - 2015!

Primeiramente, feliz ano novo! É assim que começamos a primeira postagem do ano? Estou aqui "hibernando" depois de almoçar as sobras das comilanças do Reweiom... Até eu me aventurei na cozinha, fiz uma torta salgada linda e principalmente deliciosa!
Passei o Reveiwon em casa com meus pais, minha vó e minha tia. Com direito a comilanças, churrasco e bebidas.... Teve espumante! Não tomei banho de espumante. Porém, os pensamentos positivos para os próximos 365 dias desse novo ano de 2015.

Segundo as retrospectivas que fiz do ano de 2014; aqui , aqui e aqui (o mês de Dezembro foi cheio de retrospectivas...). Esse ano foi um dos anos de muito trabalhos e estudos que eu mais colhi bons frutos nos dois semestres desse ano.

Já passei outros Reveiwons; Animados, Divertidos, chorosos.... Esse ano,a Beira mar, teve aquele espetáculo de vinte minutos de queima de fogo... Eu assisti tudo, pela televisão longe dos agitos festivos. Esse ano eu entrei realmente confiante no clima “ano novo, vida nova…”.

O pedido para esse ano de 2015, continua sendo o mesmo pedido que eu fiz para o ano de 2014: “Vamos combinar uma coisa; surpreenda-me que eu te surpreendo.”.
© Lado Milla
Maira Gall